Justto recebe aporte do Criatec 3

21/01/2019

Empresa é pioneira no setor de lawtech no Brasil.

Alexandre Viola e Michelle Morcos na sede da Justto. (Créditos: Divulgação)

A área jurídica acumula 80 milhões de processos no Brasil, número que vem crescendo a cada ano segundo o relatório “Justiça em Números”, elaborado pelo Conselho Nacional de Justiça em 2017. As ações levam oito anos, em média, para serem concluídas. Daí a demanda latente pelo surgimento de soluções de automação e inteligência para o setor, como a da Justto, fundada pelos advogados Alexandre Viola (39) e Michelle Morcos (34).

A empresa é uma das pioneiras no Brasil no segmento lawtech. Fundada em 2012, automatiza o processo de negociação de acordos judiciais, sobretudo em casos do direito do consumidor e direito trabalhista. A empresa acaba de receber R$ 2,5 milhões do Fundo Criatec 3, criado pelo BNDES e gerido pela INSEED Investimentos. O recurso será destinado tanto para ampliação dos recursos de inteligência artificial e machine learning da ferramenta, quanto para marketing e vendas.  Em 2018, a Justto tem ampliado sua atuação no mercado com capilaridade por todo Brasil, somando uma média de crescimento de 45% ao mês.

A tecnologia

A Justto é uma plataforma de resolução de disputas e tem como propósito simplificar a forma como as pessoas e empresas resolvem suas disputas. A solução surgiu a partir da vivência de Alexandre e Michelle, que buscaram construir a solução para resolver as demandas de seu trabalho como advogados. Inicialmente, criaram a primeira câmara de arbitragem online do Brasil  – a Arbitranet – que evoluiu para a construção da atual plataforma de automação de negociação de acordos. O sistema da JUSTTO utiliza dados históricos de processos e a política de acordo de cada cliente para montar automaticamente uma estratégia de abordagem e acordo personalizada. A ferramenta então entra em contato com o pleiteante de forma automática (através de diversos canais como SMS, e-mail, Whatsapp, etc.), enviando ofertas e capturando contrapropostas de forma a encerrar disputas judiciais e extrajudiciais por meio de um acordo. Feito o acordo, a ferramenta gera os documentos finais para encerrar a causa, tudo de forma automatizada.

Em 2017, o total negociado na Justto foi de R$ 172,3 milhões. A empresa estima que a economia obtida por seus assinantes passou de R$ 12 milhões.

Sobre a escolha da Justto para investimento, Gustavo Junqueira, CEO da INSEED Investimentos explica que a plataforma foi escolhida após uma análise de vários players do mercado: “O pioneirismo da Justto no segmento de lawtech, a maturidade do negócio e a necessidade do mercado por uma solução que seja efetiva para diminuição de gastos com processos consumeristas foram fatores decisivos para definirmos o investimento do Criatec 3 na plataforma”, conta, explicando que o setor jurídico é um dos mais carentes no uso de tecnologia.

(Press release)

 

Confira a matéria do portal Startupi sobre o investimento!